Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Além Douro Digital

Informação da Região Norte de Portugal

Além Douro Digital

Informação da Região Norte de Portugal

A Administração Regional de Saúde do Norte sem dinheiro.

Hospitais não podem contratar médicos em falta.

No mês passado o pagamento de faturas de análises, exames e tratamentos prestados por clínicas convencionadas não tem sido liquidadas.
No hospital de Vila Real a proposta de um urologista especialista para prestar serviço como tarefeiro não obteve qualquer resposta. O conselho de administração do Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro não deu resposta por não ter verba para pagar horas de serviço.

O medico que presta serviço numa unidade de saúde do Minho. e a preparar a tese de doutoramento na especialidade, ofereceu-se para prestar serviço no hospital de S. Pedro, devido à falta de médicos da especialidade, onde de doze vagas apenas três prestam serviço. Um mês depois ainda não lhe foi dada uma resposta oficial.

H Vila real.jpgClínicas ameaçam cortar credito.
A Federação Nacional dos Prestadores dos Cuidados de Saúde (FNS) diz que a dívida, de cerca de um milhão de euros, já levou o banco credor a informar as clínicas que vai deixar de financiar as faturas da responsabilidade da Administração Regional de Saúde do Norte (ARSN).

A situação poderá agravar-se a partir de hoje, data em que se vencem as faturas de março, num total de cerca de quatro milhões de euros, de acordo com a FNS. A ARSN admite que teve constrangimentos financeiros no início do ano, mas desdramatiza e garante que grande parte da dívida referida já foi liquidada, "prevendo-se para breve o pagamento da sua totalidade".

BANDA PORTUGUESA ESTAVA NO LOCAL ONDE OCORREU O ATENTADO NA BAVIERA.- ALEMANHÃ

A banda Moonspell, que no passado sábado esteve a atuar no Festival Rock de Carviçais, Torre de Moncorvo, saiu incólume no atentado terrorista na Baviera, Alemanhã. Atentado que ocorreu esta madrugada no recinto onde iam dar um concerto. Um homem, de 27 anos de idade, com nacionalidade Síria, a residir na Alemanhã há 2 anos, fez-se explodir no recinto onde decorria um concerto de música metal, com mais de duas mil pessoa a assistir. O atentado provocou mais de vinte feridos, três dos quais em estado grave.
A banda portuguesa viajou para a Baviera alemã na manhã de ontem depois de ter oferecido um concerto no maior festval rock de Trás-os-Montes, via aeroporto Sá Carneiro. A banda preparava-se para dar início ao concerto, realizado ao ar livre, em tudo idêntico a Carviçais, quando o hmem se fez explodir. Por mera sorte o atentado não atingiu a banda nacional.

moonspelll em carviçais.pngMoonspell foi formada na Brandoa, cidade de Amadora. É uma banda de gothic metal de Lisboa, Portugal. Em pouco tempo tornou-se uma das bandas de metal portuguesas de maior reconhecimento internacional.

ADVOGADOS NÃO ACEITAM PROCESSAR MÉDICOS

É mais difícil encontrar um advogado que aceite um processo na área da saúde, contra médicos e hospitais, que crocodilos no Douro. Pelos visto o réptil aparece lá para os lados de Miranda do Douro. Enquanto que advogados há muitos mas procuram lucro fácil. Basta ver os sinais exteriores de riqueza da maior parte dos advogados. A cobardia de quem um dia jurou defender os cidadãos e o direito à justiça esconde-se atrás da toga "Os médicos estão de tal forma unidos que é quase impossível apurar factos incriminatórios contra eles. Ainda é uma classe profissional protegida por lei, pelo código deontológico, pelo segredo profissional e grupo". Quem o disse foi um advogado de Lamego, quando confrontado com uma situação de negligência médica num hospital da região.

Há médicos especialistas que sãoprantórios nos relatos verbais com o doente na altura dos exames clínicos. Mas nos relatórios escusam-se à textualidadede factos que deram origem ao estado clínico do doente, relatando apenas o estado clínico de momento sem prejudicar colegas que tenham cometido algum erro médico, mais comum chamada de negligencia médica.

Senhora dos Remédios.jpgQUEIXAS JUDICIAIS DÃO EM NADA!
Os utentes vítimas de negligência ou erro médico acham que queixas não dão em nada, A maioria dos inquiridos para um estudo da DECO que se consideram vítimas de negligência ou erro médico não apresentou queixa por considerarem que tal seria uma perda de tempo, mas também por não saberem como fazê-lo. Esta é uma das conclusões do estudo sobre direitos dos utentes, que será publicado na edição de agosto da revista Teste Saúde, e que contou com 1.274 respostas válidas de portugueses com idades entre os 30 e os 79 anos. De acordo com o artigo, muitos dos participantes no inquérito "queixam-se dos serviços de saúde e nove em cada 10 afirmam que fariam queixa em caso de erro ou de negligência médica. Mas, na realidade, poucos passam à ação, por considerarem que de nada adiantaria".

Alberto Alho, um utente referiu, "Infelizmente a mentira tornou-se um prática recorrente por parte da classe medica que na realidade sabe que não é investigada.O coitado do povo confia em elites que os matam.Venda direta no produtor - Adega - Zona Industrial de Carrazeda de AnsiãesDo juízes então ... É melhor nem falar! Alegou.

 

 

MÉDICOS GANHAM MILHÕES COM HOSPITAIS PÚBLICOS

Funcionário do hospital denuncia negocio das cirurgias nos hospitais públicos.

Há médicos cirurgiões a favorecer os doentes assistidos nos seus consultórios particulares, onde o doente paga entre €60 a €80 por consulta, sendo favorecidos nas cirurgias nos hospitais públicos. Os doentes assistidos e acompanhados no Serviço Nacional de Saúde ficam em lista de esperas, muitas vezes, anos.
A denuncia partiu de vários doentes da ARSN que têm sentido no corpo a inercia dos Centros Hospitalares, principalmente do interior.
No Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro, num curto espaço de tempo 13 anestesistas "romperam" o contrato que mantinham e regressaram aos centros hospitalares do Litoral onde já tinham prestado serviço. Agora, cada dia que vêm a Vila Real, Lamego ou Chaves, cobram €50 por hora.
Para agravar o estado de saúde das gentes do interior, os médicos cirurgiões estão a negar fazer cirurgias a doentes seguidos no serviço publico afim de encaminharem os mesmos doentes para os seus consultórios. Doentes esses que serão encaminhados mais tarde para os hospitais públicos onde os mesmo médicos prestam serviço e passam à frente dos doentes assistidos na mesma unidade de saúde.
No hospital de S. Pedro, Vila Real, recentemente dois médicos urologistas deixaram de prestar serviço na unidade de saúde para "desviarem" doentes para os seus consultórios e opera-los, se necessário, nos hospitais onde prestam serviço, tal como nos foi confidenciado por um familiar do doente que presta serviço no referido hospital. "O meu pai tinha um problema de rins e nunca mais era tratado. Quando soube que o médico T tinha saído deste hospital falei com ele por telefone. O meu pai que estava na urgência deste hospital (S. Pedro - Vila Real) nem chegou a ser consultado. Abandonou a urgência e foi ao consultório do dito médico. Em menos de cinco dias viu a sua situação de saúde resolvida. É triste, mas é a verdade. este hospital não está funcional", alegou a funcionária do Centro Hospitalar de Vila Real.
Uma mulher de Amarante contou ao NEI que andou mais de dois anos para fazer uma correção à bexiga, mas não passava da lista de espera. "Quando me falaram que um médico cirurgião do hospital de Vila Real que fazia essa cirurgia rapidamente nem olhei para trás. Fui ao consultório dele, onde paguei €70 pela consulta.Em menos de um mês fui operada no hospital de S. Pedro", referiu.

Bloco operatorio.jpg

 


As administrações hospitalares sabem destes truque, mas nada fazem porque também são médicos. Uma roda de negocio "ilegal" com dinheiros públicos que está a prejudicar os utentes do Serviço Nacional de Saúde.
A Procuradoria Geral da Republica há muito que começou a reunir informação que em breve pode colmatar em ação das autoridades policiais.

DEFENDE INGLESES QUE O LEVARAM A PRESIDENTE NA COMISSÃO EUROPEIA.

Durão Barroso colocou o nome Portugal na guerra do Iraque

Durão Barroso "borra" novamente as barbas dos portugueses ao aceitar um lugar na maior financeira do mundo, Goldman Sachs, com quem colaborou durante os 10 anos, que esteve na Comissão Europeia. Aquem prestou vasssalagem através dos politicos de Inglaterra.
Em 2004 abandonou Portugal, como primeiro-ministro, tendo noeado Santana Lopes para ocupar o cargo, sem que este tenha sido eleitom  "abandonado" pelo desertor Durão Barroso, afim de ocupar o lugar de presidente da Comissão Europeia. Lugar que ocupou depois de ter negociado com os ingleses e americanos a placa giratóriaa Base das Lages, da ilha Terceira - Açores, para que os "donos do mundo" pudessem atacar o Iraque e derrubar  assassinar por enforcamento Saddam Hussein . Negociações à margem do Presidente da Republica, na altura,  Jorge Sampaio, o qual já veio denunciar o ex-primeiro ministro de Portugal e ex-presidente da Comissão Europeia de ter traído a Republica Portuguesa.

Gurao Barroso.jpgForam os ingleses, os mesmmos que agora abandonam a União Europeia por não terem mais onde possam lucrar, que prometeram e cumpriram a Durão Barroso que caso cedesse a base das Lages para atacar o Iraque seria presidente da Comissão Europeia.
Felizmente para os portugueses que os grupos seguidores do ex-líder do Iraque,Saddam Hussein, não vêem em Portugal um alvo a abater, caso contrário Durão Barroso poderia ser o responsável por ataques terroristas em Portugal. O que acontece aos traidores? São nomeados para altos cargos para continuarem a humilhar o seu povo. Durão Barroso envergonha Portugal e os transmontanos de onde é natural - Valpaços. Afinal não é só José Cid a humilhar os transmontanos.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D