Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Além Douro Digital

Informação da Região Norte de Portugal

Além Douro Digital

Informação da Região Norte de Portugal

Apresentador da SIC "saca" 360 euros a reformado neste Natal

Um reformado, que passou por um órgão de comunicação social de âmbito nacional, todos os meses vê o seu "pré" reduzido em€180, os quias são entregues ao apresentador José Figueira, por ordem de um tribunal no Estado Democrata que milita em Portugal. Este mês esse valor foi a dobrar porque o reformado, também, recebeu o valor acrescido de subsidio de Natal.    

                                                                             "José Figueira pode dar corda aos sapatos, neste Natal."

Jose Figueira Setubal.jpg

Tudo se passou num período de tempo em que o referido reformado estava à frente dos destinos de um semanário que "assombrava" muitas da elites que viriam a levar Portugal à banca rota. Tendo apenas como apoio os leitores, grupo dos quais fazia parte o ilustre Dr. Alberto João jardim, ex-presidente do Governo Regional da Madeira. Um semanário verdadeira mente independente, o que levou a várias buscas da PJ às instalações do dito semanário, pelas denuncias da corrupção e favorecimento de funcionário publico que se passavam dentro de várias instituições de Estado. Tal como se tem vindo a confirmar.

José Figueira aparece numa situação de apenas residente num local onde teria acontecido algo insólito e ilegal. Apenas como referencia de pessoa conhecida que residia no local do crime. Mas, como esse "senhor" não gostou de ser relacionado como residente num bairro de criminosos, sentiu-se lesado na sua honra e recorreu a tribunal onde viria a "ganhar" a questão judicial. Não tendo ganho a moralidade dos camaradas de profissão. E poder-se-á ver a sua queda gradual desde antão. 

Mesmo estando no seu direito do "blá...blá..." bom nome ao apresentador; nunca lhe foram apontados quaisquer atos de ilicitude na reportagem publicada no dito semanário, que tinha como sede algumas portas abaixo do edifício da PJ. José Figueiras apenas aproveitou a oportunidade "oportunista" do seu protagonismo, na altura, para fazer valer as instâncias judiciais, onde, principalmente ao Ministério Publico, nunca chegou a verdadeira democracia no pós 25 de abril de 1974. 

(Quem escreveu este texto nunca foi condenado, mas passou 23 anos nas catacumbas do sistema judicial e policial).

Boas Festas e que o ano de 2017 seja de Paz e Justiça popular.

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D