Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Além Douro Digital

Informação da Região Norte de Portugal

Além Douro Digital

Informação da Região Norte de Portugal

Caçadores sofrem acidente e "fogem" do local com ajuda de uma rectro-escavadora

Dois caçadores sofreram um acidente de viação na área da reserva de caça de S. João da Pesqueira, perto da aldeia de Nagoselo do Douro, antes do Natal. Só conseguindo sair do local com a ajuda de uma recto-escavadora que foi retirar a viatura em que seguiam os caçadores. Os dois ocupantes da viatura tiveram a ajuda de pessoas ligada à caça local, que depois de contactadas pelos sinistrados foram em seu socorro e pediram ajuda ao proprietário de uma recto-escavadora para retirarem a viatura da ribanceira onde tinha caiado, junto a um olival. Os caçadores não sofreram ferimentos nem a viatura teve danos de maior. Apenas houve prejuízos em algumas pequenas oliveiras que tinham sido plantadas no local. As autoridades não foram alertadas oficialmente para o sucedido nem mesmo o dono do terreno, o que ficou com o prejuízo até ao momento.

DSCI6879.JPG

Os caçadores "fugiram" do local com a ajuda dos parceiros de caça local, supostamente pensando que já mais viriam a ser identificados devido à hora a que se deu o sinistro e ao local ermo. Mas, como não há crimes perfeitos, os intervenientes deixaram no local vestígios do ato que os levou até à aquele local, assim como vestígios suficientes para identificar os alegados caçadores. Um dos pontos chave foi a identificação da recto-escavadora que esteve no local em auxilio dos sinistrados.

 

DSCI6878.JPGO proprietário aguarda um contacto pelos responsáveis locais da reserva de caça ou dos intervenientes, residentes fora do concelho de S. João da Pesqueira, apenas por bom senso, visto que os prejuízos não ultrapassa os€50. E limpeza do terreno onde ficaram objetos poluentes provenientes do sinistro e do ato venatório como se pode observar nas fotos.

 

 

 

Apresentador da SIC "saca" 360 euros a reformado neste Natal

Um reformado, que passou por um órgão de comunicação social de âmbito nacional, todos os meses vê o seu "pré" reduzido em€180, os quias são entregues ao apresentador José Figueira, por ordem de um tribunal no Estado Democrata que milita em Portugal. Este mês esse valor foi a dobrar porque o reformado, também, recebeu o valor acrescido de subsidio de Natal.    

                                                                             "José Figueira pode dar corda aos sapatos, neste Natal."

Jose Figueira Setubal.jpg

Tudo se passou num período de tempo em que o referido reformado estava à frente dos destinos de um semanário que "assombrava" muitas da elites que viriam a levar Portugal à banca rota. Tendo apenas como apoio os leitores, grupo dos quais fazia parte o ilustre Dr. Alberto João jardim, ex-presidente do Governo Regional da Madeira. Um semanário verdadeira mente independente, o que levou a várias buscas da PJ às instalações do dito semanário, pelas denuncias da corrupção e favorecimento de funcionário publico que se passavam dentro de várias instituições de Estado. Tal como se tem vindo a confirmar.

José Figueira aparece numa situação de apenas residente num local onde teria acontecido algo insólito e ilegal. Apenas como referencia de pessoa conhecida que residia no local do crime. Mas, como esse "senhor" não gostou de ser relacionado como residente num bairro de criminosos, sentiu-se lesado na sua honra e recorreu a tribunal onde viria a "ganhar" a questão judicial. Não tendo ganho a moralidade dos camaradas de profissão. E poder-se-á ver a sua queda gradual desde antão. 

Mesmo estando no seu direito do "blá...blá..." bom nome ao apresentador; nunca lhe foram apontados quaisquer atos de ilicitude na reportagem publicada no dito semanário, que tinha como sede algumas portas abaixo do edifício da PJ. José Figueiras apenas aproveitou a oportunidade "oportunista" do seu protagonismo, na altura, para fazer valer as instâncias judiciais, onde, principalmente ao Ministério Publico, nunca chegou a verdadeira democracia no pós 25 de abril de 1974. 

(Quem escreveu este texto nunca foi condenado, mas passou 23 anos nas catacumbas do sistema judicial e policial).

Boas Festas e que o ano de 2017 seja de Paz e Justiça popular.

 

Família passa Natal sem "bacalhau".

Vivem numa barraca que lhes serve de casa desde sempre, no concelho de S. João da Pesqueira.
 
Uma família, constituída por três pessoas adultas, com idades entre os 82, 46 e 42 anos, este ultimo com graves problemas de saúde desde a infância, vivem com pouco mais de €240 mensais. Desse valor têm de pagar todas as despesa inerentes à habitação e bens pessoais. Estando privados de televisão por não terem condições para pagar a uma qualquer empresa que forneça o serviço e o serviço grátis ali não funciona.. Só com a ajuda da IPSS "Pesqueira Amiga", esta família não passa fome e recebe uma refeição quente diariamente.

pesqueiramiga.pngO único rendimento que entra naquela habitação, que se parece com uma casa, é a reforma da matriarca, pessoa mais velha da família. O filho mais novo sofre de doença cronica desde criança, ainda chegou a receber uma pequena pensão de sobrevivência, mas há cerca de 4 anos, foi-lhe retirada por circunstâncias que os familiares não sabem explicar.

O Natal que se aproxima será mais um sem qualquer prenda no "sapatinho" ou aconchego especial na noite de consoada. É que a pessoa mais velha está com alguns problemas de saúde, sendo um dos filhos, o mais velho, que tem a responsabilidade de tomar conta da mãe e do irmão mais novo. "Todos os dias me levanto às 05H00 horas da manhã, para lhes fazer o café e torradas, umas vezes sem manteiga, ou azeite. Depois tenho de ir buscar o almoço e servi-lo à minha mãe e ao meu irmão. Eles estão dependentes de mim". Referiu, António, o filho mais velho.Papa Francisco.jpg
Alegou ainda o membro da família que vão sobrevivendo com as boas intenções de pessoas da aldeia e amigos que lhes oferecem alguns bens: alimentação e de uso pessoal, tais como roupas e calçado.
Ainda há miséria escondida mesmo ali ao lado dos altos quadros da política nacional, que apenas visitam estas famílias desintegradas da sociedade em tempos de eleições.
"Enquanto houver uma pessoa a passar fome, há uma falha grave na humanidade": palavras do Papa Francisco.

 

 

Linhas de Alta Tensão e Muito Alta Tensão provocam o cancro e leucemia!

O Alto Douro Vinhateiro está a ser devassado por mais de duas centenas de torres da altura de prédios com 25 andares, para suporte das linhas de muito alta tensão que transportarão a energia eléctrica desde o Tua até Armamar.

As populações de São João da Pesqueira, Armamar e Tabuaço, Alijó e Régua vão ser as grandes vítimas de riscos. Em Tabuaço as linhas ficam colocadas a poucos metros e mesmo em cima de casas da localidade.

Os autarcas das acima referidas sedes de concelho foram ouvidos há mais de um ano e concordaram com o traçado daatual colocação de linhas de Alta Tensão. Apenas dois presidentes dê Câmara, José Luís, presidente da Câmara de Carrazeda de Ansiães e JoséTulha, presidente da Câmara de S. João da Pesqueira, oposeram-se a um outro traçado que "esventrava" o Douro na área classificada como Património Mundial da Humanidade. A companhia de transporte de energia em Portugal, privatizada pelo anterior governo daRépublica,atual propriedade de um grupo de chineses, tem uma política de investimento algo duvidosa próximo dos políticos; pressionando mesmo os autarcas a concordar com os investimentos. Algo que poderá levar o MP a impor uma investigação aos duvidosos interesses e cedências.

robo6.JPG

 PERIGO e Sintomas mais comuns

A influência das energias revelam-se em sintomas como: mal-estar, insónia, cansaço, stress, irritabilidade, neurastenia, queda de cabelo, perda de memória, impotência. Com o decorrer do tempo e devido à exposição mais prolongada, surgem doenças graves como cancro e leucemia. Pessoas expostas a essas radiações terão dificuldade na recuperação não só de doenças graves como também das mais simples, pois não adianta tratá-las sem que se elimine ou se solucione a causa.
Nas crianças, a influência das energias, provocada sobretudo pela proximidade das torres manifesta-se na dificuldade de assimilação e em comportamento fora do normal, como dislexia, insónia, agressividade; em doenças como disritmia e mongolismo. Há casos de bebes que morrem logo nos primeiros meses sem explicação aparente; nas futuras mães manifestam-se sérios distúrbios que afetam a formação e desenvolvimento do feto em virtude da alteração do DNA, além de hemorragias e mesmo aborto.

Um desconforto logo "sanado"
Enfim, devido à gravidade do assunto e de posse dessas informações, é importante estar atento a possíveis problemas, sobretudo para quem reside ou trabalha muito próximo a torres de alta tensão. Não é de interesse das empresas envolvidas e, muitas vezes, nem do próprio governo e autarquias que tenhamos consciência do risco que corremos. Empresas de energia como a REN oferecem melhoramentos locais irrecusáveis pelos políticos... Sabem o mal que provoca?

"Podem ignorar este texto ou o seu autor. Mas, pela vossa saúde não ignorem o risco"!

Revolta silenciosa...

cancer-de-figado.jpg

Maria Lourdes Costa Fiquei horrorizada quando, de regresso a casa ,deparei com aquele monstro de aço à minha frente. Penso que ninguém ficou indiferente a este atentado à paisagem patrimonial e à saúde de todos nós. É lamentável não havido.

Glória Mendonça E as entidades competentes, são assim tão irresponsáveis ???

vinho NATAL.jpg

 

 

 

 

 

Detidos por caça ilegal ao tordos... Agricultores ameaçados com arma de fogo!

Elementos do Núcleo deProteção do Ambiente da GNR detiveram na ultima semana, na região do Douro, mais de vinte caçadores em situação ilegal. Os ilícitos detetados pelas autoridades foram desde a falta de seguro, chamariz,  documentos caducados e caça depois do horário legal. Em Alijó foram detidos onze indivíduos que se encontravam a praticar o atovenatório fora do horário permitido e em local não autorizado para o exercício da caça.

gnr-sen.jpg

Da operação resultou a apreensão: a detenção dos caçadores e identificação, assim como a apreensão de 11 armas de caça; 1302 cartuchos; 50 tordos.  Ficando de fora as viaturas as viaturas por não ter sido provado que as mesmas faziam parte do ilícito criminal.

Os detidos foram constituídos arguidos e notificados para se apresentarem no tribunal local afim de serem julgados em processo sumário.

GNR Vila Real - Apreensões.jpg

Uma constatação e mesmo reclamação dos agricultores do Douro é a conspurcação dos terrenos com cartuchos, invasão da propriedade privada, onde há trabalhos agrícolas a decorrer, tal como a caça ter inicio ainda de noite e termina da mesma forma, assim como caçar com nevoeiro, o que põe a integridade física de caçadores e agricultores em causa.

Para além das associações de caça terem tomado posse de terrenos à revelia dos seus proprietários, os mesmo não são indemnizados para o efeito e dos prejuízos, os agricultores ainda são ameaçados com armas de fogo quando andam no amanho das terras a agricultar, como aconteceu no passado sábado no concelho de S. João da Pesqueira. O caricato destas situações é quando estão em causa agentes da autoridade alguns deles caçadores... É urgente mais fiscalização na caça com a mera intenção de cumprir e fazer cumprir a lei da caça..

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D